Crianças e natureza! /Children and nature!

Portuguese/English

É muito importante que as crianças aprendam a respeitar e a valorizar a natureza. E o papel de ensiná-las é nosso – pais e educadores. Deve haver um esforço e uma parceria entre os pais e a escola nesse sentido. Se a ação cotidiana dos adultos for diferente do discurso que elas aprendem, todo o esforço se torna em vão!

O amor pela natureza as levará a amar e apreciar o mundo e a lutarem pela sua preservação, afinal a natureza é o nosso habitat, e a Terra é o nosso planeta, e cuidar dela é a nossa obrigação.

Crianças e natureza – o vínculo é indispensável! Elas precisam desse contato direto com o verde, estar com a terra debaixo de seus pés. Precisam escutar o canto dos pássaros, precisam do contato com os animais, precisam sentir a energia do sol e da chuva, precisam sentir o movimento dos rios e o do ar, e precisam acima de tudo de espaço para correrem, brincarem, se expandirem… se conectarem com a terra e se desconectarem do mundo lá fora – livres!

Segundo Lydia Coutinho Rosado – pedagoga e educadora – “No futuro, essas crianças serão jovens e adultos que sentirão com força os benefícios de amarem e respeitarem a natureza. E a consciência desenvolvida ao longo da infância e da adolescência se transformarão em uma noção plena de sua participação na construção efetiva de um mundo melhor. O indivíduo ganha a atitude da sustentabilidade, que é nosso caminho sem volta, e estará harmonizado com seu tempo. Quem não tiver tido esse ensinamento chegará à vida adulta e precisará encontrar sozinho um jeito de se adequar a essa realidade, o que será muito mais difícil.”

Para quem teve em sua infância a oportunidade de crescer ao ar livre, basta buscar em suas lembranças o quanto essas vivências marcaram suas vidas positivamente. São lembranças que parecem fazer a alma sorrir e trazem harmonia interior!

É indispensável que as crianças troquem energia com a natureza, através dos seus principais elementos: água, fogo, ar e terra. Essa expressão (quatro elementos) tem origem na Grécia antiga com seus grandes pensadores que tentavam descobrir qual o elemento que formava todas as coisas. O grande Thales de Milleto acreditava que a origem estava na água, já Anaxímenes acreditava no Ar e por fim Heráclito incluiu o fogo como agente criador. Mas foi Empédocles que adiconou Terra a esses três conceitos e concluiu que tudo era formado por quatro elementos.

Os filósofos pré-socráticos (filósofos da Grécia Antiga que antecederam a Sócrates) identificaram esses quatro elementos primordiais, que eram opostos dois a dois: água (fria e úmida); fogo (quente e seco); ar (quente e úmido) e terra (fria e seca).

Brincar com esses elementos é criar raízes com o nosso planeta em toda sua dimensão, é participar de um compartilhamento e de um acolhimento mútuo, vivido entre o Homem e o Universo.

A pesquisadora e educadora Maria Amélia Pereira, em seu livro chamado “Casa Redonda” descreve como as crianças apresentam uma ligação natural com os elementos da natureza, que se tornam seus brinquedos preferidos.

Seus estudos buscam demonstrar a relação entre o desenvolvimento corporal saudável e a necessidade de contato com a natureza e seus elementos, afinal, “nosso corpo é natureza”.

Em um estilo de vida urbano e em plena era contemporânea, em que a tecnologia invade nossas vidas cada vez mais cedo, o contato das crianças com a natureza fica mais difícil e raro. E por vezes nem nos damos conta da falta que esse contato “homem/natureza” faz para a nossa saúde física e emocional e principalmente para as crianças.

Entretanto, esse contato traz inúmeros benefícios e ajuda na formação do indivíduo e do cidadão – “O contato com as plantas auxilia na compreensão da vida e desenvolve a habilidade de cuidar e respeitar a natureza, a si mesmo e aos outros” – explica Adriana Sales (psicóloga).

A BBC publicou uma reportagem sobre o efeito dessa desconexão entre as crianças inglesas. O texto aponta vários transtornos no desenvolvimento infantil, como estresse e agressividade, relacionados ao chamado “transtorno do déficit da natureza” (nature deficit disorder). A matéria afirma ainda que crianças inglesas com diagnóstico de TDAH – Transtorno de Deficit de Atenção e Hiperatividade – (ADHD- em inglês) apresentam uma melhoria nos sintomas quando em contato com a natureza. (http://www.bbc.com/news/science-environment-17495032)

Segundo Daniel Becker (pioneiro da pediatria integral no Brasil) os comportamentos infantis normais estão sendo encarados como doença, ou classificados como tal por pais e escolas que não sabem lidar com uma criança que é um pouco diferente da média. Além disso, a rotina dos pequenos, para ele, só piora o quadro: – “A criança volta de noite da escola; quando chega liga TV, computador e videogame; come salgadinho, açúcar, corante e conservante o dia inteiro; e não vê NATUREZA – como é que ela vai ouvir o professor falar sobre helmintos e platelmintos e vai se comportar bem?”

Os pais não devem temer o “vento encanado” mas sim o “lixo tóxico” – comida industrializada, que muitos vezes oferecem à seus filhos.  Pais que não suportam ver os filhos frustrados ou entediados, e por isso exageram nas atividades impostas ou nas distrações tecnológicas. Esse é o retrato que Daniel Becker faz da educação que muitos brasileiros têm dado aos filhos.

Becker também lamentou a rotina a que as crianças têm sido submetidas. Para ele, falta tempo para brincar e contato com a natureza – “Já chegamos no ponto em que o médico precisa prescrever a brincadeira”.

Por isso, viagens de fins de semana ou simples passeios para locais de natureza são muito importantes, e devem estar incluídos na lista de prioridades da família. A criança é una com a natureza. Ela acorda com o nascer do sol e se entrega ao cansaço no final do dia quando ele se recolhe diante da noite que chega. Se a criança for incentivada a encontrar a natureza intensamente, o amor e o respeito serão naturais, e o equilíbrio existirá sem nenhum esforço.

Comentários

– Pediatria Integral – une a medicina convencional a saberes tradicionais como a acupuntura, a osteopatia e a homeopatia.

– Daniel Becker, pediatra, trabalhou em um campo de refugiados no Camboja pelos Médicos sem Fronteiras e foi um dos pioneiros do modelo do programa Saúde da Família.

Curiosidades:

– Vento encanado –  forma coloquial falada no Nordeste para referir-se a uma lufada de vento ou um corredor ou fluxo de vento direcionado.

English

It is very important that children learn to respect and value nature. And the role of teaching them is our – parents and educators. Efforts should be made and a partnership between parents and the school accordingly. If the daily activity of adults is different from the speech that they learn the whole effort becomes in vain!

The love of nature will lead to love and appreciate the world and to fight for its preservation, all the nature is our habitat, and the Earth is our planet, and take care of it, is our obligation.

Children and nature – the link is essential! They need have that direct contact with the green, and have living with the earth under his feet. They need to hear the birds singing, need the contact with the animals, need to feel the energy of the sun and rain, need to feel the movement of the rivers and the air, and above all need space to run, play, expand … connect with the earth and disconnect from the outside world – free!

According to Lydia Coutinho Rosado – pedagogue and educator – “In the future, these children will be young and adults who feel strongly the benefits of love and respect nature. And consciousness developed during childhood and adolescence will become full sense of their effective participation in building a better world. The individual gains the attitude of sustainability, which is our way of no return, and will be harmonized with their time. Who has not had this teaching will reach adulthood and need to find yourself a way to adapt to this reality, which is much more difficult. ”

For those who had in his childhood the opportunity to grow outdoors, just get in his memories how these experiences have marked their lives positively. Are memories that seem to make the soul smile and bring inner harmony!

It is essential that children exchange energy with nature, through its main elements: water, fire, air and earth. This expression (four elements) originates in ancient Greece with its great thinkers who were trying to figure out which element that formed all things. The great Thales Milleto believed that the origin was in the water, as Anaximenes believed Up and finally Heraclitus included the fire as a creative agent. But that was Empedocles adiconou Earth to these three concepts and concluded that it was made up of four elements.

The pre-Socratic philosophers (philosophers of ancient Greece prior to Socrates) identified these four key elements which were opposed in pairs: water (cold and wet); fire (hot and dry); air (hot and humid) and earth (cold and dry).

Playing with these elements is root with our planet in all its dimensions, is to join a sharing and mutual acceptance, lived between man and the universe.

The researcher and educator Maria Amélia Pereira, in his book called “Round House” describes how children have a natural connection with the elements of nature, which become their favorite toys.

His studies focused on demonstrating the relationship between healthy body development and the need for contact with nature and its elements, after all, “our body is nature.”

In an urban lifestyle and in full contemporary era, when technology invades our lives at an earlier age, the children’s contact with nature is more difficult and rare. And sometimes we are not aware of the lack this contact “man / nature” does for our physical and emotional health and especially for children.

However, this contact brings numerous benefits and helps in the formation of the individual and the citizen – “Contact with the plants helps in understanding of life and develops the ability to care for and respect nature, yourself and others” – explains Adriana Sales (psychologist).

The BBC published a report on the effect of this disconnect between the English children. The text points out various disorders in child development, such as stress and aggression related to the so-called “nature deficit disorder” (nature deficit disorder). The article also states that English children diagnosed with ADHD – Deficit Disorder Attention Deficit Hyperactivity Disorder – (ADHD- in English) show an improvement in symptoms after contact with nature. ( http://www.bbc.com/news/science-environment-17495032 )

According to Daniel Becker (pioneer of full pediatrics in Brazil) the normal infant behaviors are seen as disease, or classified as such by parents and schools that can not handle a child who is a little different from the average. In addition, the routine of small to him, only worsens the table: – “The child from school night; when it connects TV, computer and video games; eat snacks, sugar, dye and preservative all day; and do not see NATURE – how she will listen to the teacher talk about helminths and flatworms and will behave well “?

Parents should not fear the “piped wind” but “toxic waste” – industrialized food, which many times to offer their children. Parents who do not stand to see the frustrated or bored children, and therefore exaggerate or activities imposed on technological distractions. This is the picture that Daniel Becker makes education that many Brazilians have given to the children.

Becker also lamented the routine that children have been subjected. For him, lack of time to play and contact with nature – “Are we at the point where the physician must prescribe the game.”

Therefore, weekends trips or simple trips to nature sites are very important and must be included in the family of the priority list. The child is one with nature. She wakes up with the sunrise and delivery to fatigue later in the day when he withdraws before the night comes. If the child is encouraged to find the nature intensely, love and respect will be natural, and the balance will exist without any effort.

Reviews

– Full Pediatrics – une conventional medicine to traditional knowledge such as acupuncture, osteopathy and homeopathy.

– Daniel Becker, pediatrician, worked in a refugee camp in Cambodia by Doctors Without Borders and was a pioneer of the Family Health program model.

Curiosities:

– Piped Wind – colloquially spoken in the Northeast to refer to a gust of wind or a runner or directed wind flow.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s