Sozinho mundo afora /Alone around the world

Portuguese/English

“Nenhum homem deveria passar pela vida sem experimentar pelo menos uma vez a saudável e até aborrecida solidão em um lugar selvagem, dependendo exclusivamente de si mesmo e, com isso, aprendendo a descobrir a sua verdadeira força oculta” – Viajante Solitário – Jack Kerouac.

Em uma viagem sozinho pelo mundo afora, nada é mais imprevisível que as pessoas que conhecemos pelo caminho. Por isso viajar sozinho não quer dizer manter-se em estado de solidão! Na realidade só fica sozinho quem realmente quer, pois se você está em um novo lugar, é para explorá-lo e vivê-lo em toda sua plenitude!!!

Na verdade, quando viajamos sozinhos estamos mais abertos a experimentar o novo, justamente porque saímos da zona de conforto de um amigo que tira a foto, que divide o encantamento, que conversa enquanto estamos no trem a caminho de uma nova cidade… Vamos obrigatoriamente tendo que interagir com outras pessoas nesses momentos e em muitos outros!

Porém, muitos ainda se expressam incrédulos: – “Mas que coragem!”, “Viajar sozinho?”, “E se isso…?”, “E se aquilo…?”

Na realidade, não tem haver com coragem, e sim com vida, com liberdade! Para os que carregam na alma a paixão por viajar, a frase “Mas que coragem!” são para aquelas pessoas que passam a vida dentro de casa ou no máximo vão até a esquina de suas ruas! Elas sim, precisam de coragem para desperdiçar a vida desse jeito!

Viajar sozinho, dependendo da forma como você o faz, pode ser gratificante e oferecer uma série de benefícios como: novas amizades, capacidade de lidar com imprevistos, sensação de liberdade e, principalmente, autoconhecimento. Estamos, o tempo inteiro, sendo testados, pois é preciso lidar com imprevistos no voo, no hotel ou nos passeios, por exemplo. E são diante dessas situações que percebemos como reagimos ao estresse, quais as medidas que adotamos para zelar pela nossa segurança, como nos abrimos para as pessoas e o que motivou nossas decisões. E todos esses acontecimentos geram reflexões e que certamente nos ajudam a sermos pessoas melhores e, principalmente, mais conscientes de nós mesmos e de nossas escolhas.

Alguns viajantes – especialmente as mulheres – ainda têm medo de viajarem sozinhos, pela questão da segurança. Mas escolhendo o lugar certo, o hotel certo e se cercando de alguns cuidados*, não há diferença entre estar só ou acompanhado.

* Cuidados básicos:

– Manter sua bolsa ou mochila sempre perto,
– Quando for beber qualquer coisa, nunca, jamais, tire o olho do seu copo. Assim você evita que alguém manipule sua bebida com drogas ou outros tipos de substâncias,
– Evite ficar em lugares muito isolados ou desertos,
– Use sua intuição na hora de cortar a aproximação de algum estranho ou de interromper a conversa quando alguém estiver incomodando.                                                                                                                                                      – Não acompanhe, em nenhuma hipótese, alguém que te chame para ver algo em um quarto de hotel, ou apartamento… enfim qualquer fato semelhante.                                                                                                                     – Quem viaja sozinho precisa, sobretudo, estar atento aos próprios limites e a tudo o que acontece ao redor. E é justamente essa postura de atenção interna e externa que trará os maiores benefícios da viagem, inclusive uma viagem em segurança.

A escolha do destino certo também pode fazer diferença na viagem do “lonesome traveler”. E uma ótima opção podem ser as grandes cidades, como Nova York, Madrid, Lisboa, Milão, Paris e Londres. Por serem centros urbanos, a infraestrutura é melhor, e consequentemente o transporte público, como ônibus e metrô, são ótimas opções.

Antes de escolher seu destino, é importante considerar as atividades que você gosta de fazer, que te dão prazer! A oferta de lazer e atividades culturais também costumam ser maiores nas grandes cidades. Na Europa, alguns restaurantes descolados possuem mesas compridas, que comportam muita gente ao mesmo tempo, há uma grande interação nesses lugares, e a rotatividade costuma ser maior e por fim oferece ao viajante a oportunidade de conhecer muitas pessoas durante as refeições.

Atenção! Destinos como: Egito, Irã e Iraque estão fora de questão para mulheres, ainda mais sozinhas, o assédio às ocidentais geralmente é complicado de administrar e perigoso.

Outra alternativa para quem está em uma viagem solo e quer conhecer melhor determinado local, são os blogs (microguias). Eles são escritos por pessoas que moram nas respectivas cidades. Isso é muito comum na Europa e Estados Unidos! Inclusive, o viajante pode marcar um encontro com essas pessoas (dos blogs) para que elas o apresentem ao lugar e aos amigos. É uma sugestão eficaz principalmente para quem não é tão extrovertido!

Quem tiver dificuldade de encontrar microguias da cidade aonde vai, uma opção é frequentar blogs de viagens ou comunidades de viajantes na internet. Aqui no Brasil temos uma infinidade de conteúdo deste tipo, que permite que as pessoas encontrem dicas, tirem dúvidas e, é claro, façam novas amizades!

Uma outra opção é “alugar um amigo (local)” ou “rent a local friends” para conhecer a cidade. Amigos de aluguel são pessoas comuns que cobram para mostrar a cidade à estrangeiros. Esse tipo de serviço é procurado principalmente por visitantes que querem saber como é a vida local, de um jeito que só um local pode oferecer!!!

Ao final da experiência, a viagem te trará o autoconhecimento, e essa… será a melhor lembrança que você trará na bagagem!!!

English

“No man should go through life without experiencing at least once healthy and even bored solitude in a wild place, depending solely on himself and thereby learning to discover their true hidden strength” – Lonely Traveler – Jack Kerouac.

On a trip alone around the world, nothing is more unpredictable than the people we met along the way. So traveling alone does not mean to remain in state of loneliness! In reality is only alone who really want, because if you’re in a new place, is to explore it and live it in all its fullness !!!

In fact, when we travel alone are more open to experience the new, precisely because we left the comfort zone of a friend who takes the picture, which divides the charming, chatting while we’re on the train on the way to a new city … We must have to interact with others in these times and in many others!

However, many still express unbelievers: – “What courage!” “Traveling alone?”, “What if this …?”, “What if … what?”

Indeed, it has not to do with courage, but with life, with freedom! For those who carry the soul a passion for travel, the phrase “What courage!” Are for those people who spend their lives indoors or at most go to the corner of the streets! They rather need the courage to waste life like that!

Traveling by yourself, depending on how you do it, can be rewarding and offer a number of benefits such as: new friends, ability to handle unforeseen events, sense of freedom, and especially self-knowledge. We are, all the time, being tested, because you have to deal with unforeseen in flight, hotel or on the pavement, for example. And it is in such situations that we realize how we react to stress, what steps we take to ensure for our safety, as we open to people and what motivated our decisions. And all these events generate reflections and certainly help us to be better people, and especially more aware of ourselves and our choices.

Some travelers – especially women – are still afraid to travel alone, the issue of security. But choosing the right place, the right hotel and surrounding some care *, there is no difference between being alone or accompanied.

* Basic care:

– Keep your purse or backpack always close,
– When you drink anything, never, ever, take the eye of their cup. Thus you prevent someone handle your drink with drugs or other substances,
– Avoid getting in very isolated or lonely places,
– Use your intuition time to cut the approach of a stranger or interrupt the conversation when someone is bothering you. – Do not follow in any way, anyone who calls you to see something in a hotel room or apartment … well any similar event. – If traveling alone need, above all, be aware of the own limits and everything that happens around. And it is precisely this attitude of internal and external attention that will bring the greatest benefits of travel, including a safe trip.

Choosing the right destination can also make a difference in the journey from “lonesome traveler”. And a great option can be the big cities such as New York, Madrid, Lisbon, Milan, Paris and London. Because they are urban centers, the infrastructure is better, and therefore the public transport such as buses and subways, are great choices.

Before choosing your destination, it is important to consider the activities that you enjoy doing, that give you pleasure! The leisure offer and cultural activities also tend to be higher in large cities. In Europe, some funky restaurants have long tables, which contain a lot of people at the same time, there is a great interaction in these places, and the turnover is usually higher and finally offers the traveler the opportunity to meet new people during meals.

Attention! Destinations such as Egypt, Iran and Iraq are out of the question for women, even more alone, harassment to Western is usually complicated to administer and dangerous.

Another alternative for those on a solo trip and want to learn more about particular location, are blogs (microguias). They are written by people who live in a city. This is very common in Europe and the United States! In fact, the traveler can make an appointment with these people (blogs) for them to present it to the place and friends. It is an effective suggestion especially for those who are not as outgoing!

Who have difficulty in finding microguias the city where he goes, one option is to attend travel blogs or Traveller communities on the internet. Here in Brazil we have a plethora of such content, allowing people to find tips, take questions and, of course, make new friends!

Another option is to “rent a friend (local)” or “rent local friends” for the city. Friends rentals are ordinary people who charge to show the city to foreigners. This type of service is mainly sought by visitors who want to know how the local life, in a way that only a local can offer !!!

At the end of the experiment, the journey will bring you self-knowledge, and … this will be the best souvenir you will bring the luggage !!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s